31/07/2018

Compradores públicos da saúde se unem e convidam empresas para negociar

Compartilhe

 Marcelo Frazão

O Programa Compra Londrina e o grupo Salus promovem um encontro de negócios entre as sete principais instituições públicas e privadas que atendem ao SUS e as empresas fornecedoras de produtos e serviços para o segmento.

O encontro com instituições do SUS e fornecedores privados está marcado para o dia 7 de agosto (3ª feira), na sede da Associação Médica de Londrina (AML), na Avenida Harry Prochet, 1055, às 14h30.

As inscrições para empresas interessadas podem ser realizadas pelo link http://bit.ly/vendasSAUDE185MI

Londrina é o segundo maior polo de saúde do Paraná. Pela primeira vez, os maiores compradores públicos de produtos e serviços para a saúde vão expor para o setor privado o tamanho das oportunidades no segmento.

Estarão no evento representantes do Instituto do Câncer de Londrina (ICL), Hospital Universitário (HU), Santa Casa, Hospital Evangélico, Hospital Hoftalon, Cismepar e Prefeitura de Londrina, responsáveis pela rede de atendimento do SUS local e regional.

Juntas, essas sete principais instituições realizam compras anuais em saúde estimadas em mais de R$ 185,4 milhões em produtos, insumos e serviços adquiridos de empresas.

O programa Compra Londrina é uma iniciativa da Acil, Sebrae, Prefeitura de Londrina e Observatório de Gestão Pública com o objetivo de aumentar a atração de empresas de Londrina para o mercado de compras públicas.

Um estudo recém divulgado pela Fundação Certi, encomendado pelo Sebrae, mapeou a existência, em Londrina, de 3721 empresas com serviços e produtos dedicados à saúde.

Entre os grandes compradores públicos da saúde, a Prefeitura de Londrina é o maior. O Município investe, anualmente, perto de R$ 65 milhões em produtos e serviços, por meio de licitações. São milhares de medicamentos, equipamentos e produtos para o funcionamento da rede de 53 unidades básicas de saúde, sete unidades de atendimento, Maternidade Municipal, três centros de atendimento psico-social (Caps), Farmácia Municipal e Samu, entre os principais.

O Hospital Universitário (HU) é o segundo maior comprador, com R$ 40,5 milhões, seguido do Cismepar, com R$ 645 mil em gastos anuais.

“A área de saúde da Prefeitura de Londrina realiza centenas de compras de milhares de itens. Apesar disso, encontramos dificuldades em adquirir vários produtos. Com o grupo Salus, somamos capacidades para que mais empresas locais forneçam para os compradores públicos”, explica Fábio Cavazotti, secretário de Gestão Pública da Prefeitura.  Segundo o secretário, a ideia é formar um Comitê de Compras em Saúde unindo os órgãos públicos.

“É uma oportunidade para as empresas explicarem os principais empecilhos e vencerem dificuldades nas negociações com o poder público”, diz João Santilli, presidente do grupo Salus, que funciona como um “cluster” da saúde, agregando diversos atores do segmento.

“Quem vende vai compreender melhor os processos de compras. E as instituições que compram vão obter informações sobre como modificar processos e criar mais conexão com o mercado”, aponta Santilli. “Todo mundo ganha porque o objetivo é a eficiência nas compras para viabilizar bons negócios com as empresas, sobretudo as de Londrina”.

Durante o encontro, cada órgão comprador apresentará, durante 10 minutos, as necessidades específicas de compra para despertar o interesse das empresas presentes. Após as exposições, haverá um painel de perguntas e respostas.

“A saúde é, de fato, uma grande oportunidade de negócios para as empresas da região”, confirma Simone Millan, consultora do Sebrae. “Os grandes compradores participantes podem se tornar os futuros novos clientes das empresas interessadas em se abrir ao setor público”, explica.

Para ela, o encontro será útil para que as empresas vençam a barreira do desconhecimento e tornem-se sensíveis ao potencial de negócios do mercado público do setor da saúde.

“O programa Compra Londrina já tem diversas experiências de encontros entre empresas e poder público e a saúde também participa disso de forma inovadora. É um setor em que os recursos são garantidos pelos orçamentos dos governos mas as empresas precisam se preparar para fazer parte desse tipo de negociação. Se as empresas locais enxergam essa oportunidade, aumenta a chance do dinheiro circular por mais tempo em Londrina”, diz a consultora.

Inscrições de empresas pelo link: http://bit.ly/vendasSAUDE185MI, pelo telefone 43 3372-4386 ou no site www.compralondrina.com.br