21/05/2018

Compra Londrina debate com empresas de jardinagem e roçagem novo modelo de limpeza de áreas verdes de Londrina

Compartilhe

Marcelo Frazão


Londrina é cheia de áreas verdes, fundos de vale, praças e canteiros e se você tem empresa de jardinagem, paisagismo, capina e roçagem - ou é um jardineiro autônomo, formal ou informal - esse assunto pode interessar ao seu negócio. 

O segmento está convidado pelo Programa Compra Londrina para discutir com a Prefeitura e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) um novo modelo de capina, roçagem e jardinagem de áreas públicas e imóveis públicos da cidade.


A reunião visa levantar o interesse de empresas e jardineiros locais em se tornar fornecedores do Município. O encontro acontecerá em 29 de maio, terça-feira, às 14h, na sede da ACIL, centro. 
Atualmente, a CMTU mantém dois contratos para capina e roçagem de áreas públicas, ambos com uma empresa de fora de Londrina, a um custo anual de aproximadamente R$ 10 milhões. Os contratos atuais vencem em dezembro deste ano e, por isso, passarão por nova licitação nos próximos meses.
O Município de Londrina já iniciou estudos para terceirização dos serviços de capina, roçagem e jardinagem dos prédios públicos, como escolas, postos de saúde e unidades de assistência social, dentre outros.


A ideia é conhecer melhor a realidade do mercado local para, eventualmente, construir Termos de Referência que despertem o interesse das empresas e profissionais de Londrina.
“Vamos absorver os conhecimentos e sugestões que jardineiros e empresas da cidade têm e verificar a viabilidade de um novo modelo de capina e roçagem. Quem sabe, futuramente, podemos executá-lo por meio de um novo formato de licitação. A divulgação desse encontro é muito importante para conseguirmos a presença do maior número possível de profissionais do setor”, explica o secretário de Gestão Pública, Fábio Cavazotti.


Jardineiros autônomos que ainda não são formalizados poderão ser contemplados pelas novidades.
“É possível que estes profissionais tornem-se Microempreendedores Individuais (MEIs) e sejam fornecedores do Município. Já pensou nossos jardineiros cuidando das áreas verdes de escolas e postos de saúde? É uma possibilidade muito interessante e exatamente por isso precisamos verificar a oferta e o interesse dos profissionais, além de adequar todas as questões legais”, explica.
Além de diversificar o leque de fornecedores, um novo modelo de serviço pode melhorar a qualidade da capina, roçagem e ajardinamento das áreas públicas de Londrina.
“É um estudo que já iniciamos, feito de forma objetiva e transparente. Importante destacar que não haverá qualquer impedimento às empresas de fora, que poderão participar normalmente da licitação. Mas queremos também dar condições de competividade às empresas locais”, ressalta o secretário.

Prestadores de serviços privados que fazem a capina e roçagem em áreas esportivas e em condomínios fechados de Londrina, além de órgãos como Iapar, Embrapa Soja e UEL, estão sendo contactados para participar da reunião, além de especialistas que lidam com o assunto.


O LONDRINômetro do Compra Londrina:
Desde o começo de 2018 até o momento, as empresas de Londrina ganharam R$ 14,8 milhões em contratos com a Prefeitura enquanto empresas de fora da cidade ficaram com a venda de R$ 20,5 milhões em produtos e serviços necessários para o Município.

 

 

Foto: CMTU